Seguidores

Escola Estadual Dom Idilio José Soares: Feira de ciências, sucesso absoluto









A Escola Estadual Dom Idílio José Soares , da cidade de Ouricuri, realizou nesta quinta(23) Feira de Ciências”. O evento contou com participação de pais, alunos, professores, visitas de outras escolas do município e da população em geral. De acordo com o diretor da instituição, Professor Massilon, o projeto foi idealizado pelos professores. 

Segundo a diretor, no ano de 2013, a feira foi realizada e obteve um ótimo resultado. De acordo com ele, o trabalho oferecido por toda equipe escolar e alunos é o motivo de tanto sucesso. Massilon, explicou que desde o começo do ano os professores se empenharam em trabalhar em sala de aula tudo que seria apresentado no evento.

Por chico César

Aproximadamente 200 armas são entregues por mês em Pernambuco

Desarmamento em PernambucoEm Pernambuco, a Campanha do Desarmamento recolheu 7.440 armas e 13.610 munições, entre 14 de maio de 2011 e 4 de setembro de 2014, de acordo com balanço divulgado pela Polícia Federal em setembro. Os números correspondem a sete armas entregues por dia, 49 por semana e 196 por mês. O incentivo à entrega de armas começou após a implantação do Estatuto do Desarmamento, há 10 anos.

Em 23 de outubro de 2005, foi realizado no Brasil um referendo para que a população respondesse "sim" ou "não" à pergunta "O comércio de armas de fogo e munição deve ser proibido no Brasil?". Há nove anos, quase 60 milhões de pessoas, correspondente a 63,94%, decidiram que não concordavam com a proibição. A partir do Estatuto do Desarmamento, implantado há 10 anos, iniciou-se a Campanha do Desarmamento, que segue até hoje, reformulada.
Apesar disto, entregar armas ainda causa desconforto entre a população, que ainda se sente desprotegida. 
 
Um empresário, que preferiu não se identificar, decidiu entregar uma arma porque ela estava irregular. "Eu tinha uma arma na empresa, que não tinha licença, e era usada de forma irregular. Para eu ter um porteiro que possa trabalhar armado, eu teria que atender às normas do governo; ela teria que estar legalizada, os porteiros tinham que fazer um curso, o salário dele aumentava", explicou. 
 
Para manter a segurança, ele contratou uma empresa terceirizada de segurança. "Quando surgiu a Campanha do Desarmamento, eu fui incentivado até pela mídia mesmo, e era uma oportunidade de eu me livrar desta situação irregular", afirmou. Porém, ao lembrar o referendo, ele diz que votou a favor da proibição: "Eu concordei porque imaginava que seria diferente, que ia ter um rigor maior no controle, mas acabou que desarmou mais a população e os bandidos continuaram armados".
 
Em 2013, São Paulo liderou o ranking nacional de entrega de armas, com 8.511, seguido da Bahia, com 3.853, Rio Grande do Sul, com 3.641, e Minas Gerais 3.371. Pernambuco aparece na quinta colocação, com 3.110 armas entregues voluntariamente. 
 
Percentualmente, somando-se o que foi entregue por população de 100 mil habitantes, Pernambuco aparece em primeiro, com 35,36%, seguido por Rio Grande do Sul, com 34,04%, e da Bahia, 27,48%.
 
De acordo com o chefe de comunicação da PF-PE, Giovani Santoro, o anonimato é garantido: "A pessoa não precisa se identificar nem prestar qualquer esclarecimento. Quando realiza uma entrega, ela ainda tem direito a uma indenização que varia de R$ 150 a R$ 450, em até 48 horas em qualquer terminal eletrônico do Banco do Brasil". Para mais informações, acessewww.entreguesuaarma.gov.br.

Dilma e Aécio tem último encontro nesta sexta em debate da Globo

Dilma e Aécio em último encontro na TV Globo.
Dilma e Aécio em último encontro na TV Globo.
Os dois candidatos ao Palácio do Planalto, Dilma Rousseff (PT) e Aécio Neves (PSDB), estarão frente a frente no último debate da TV Globo, que acontece nesta sexta-feira (24), depois da novela Império. O confronto rumo ao segundo turno terá duração de 1h50.
Durante o debate os eleitores indecisos, que estarão sentados na plateia, farão perguntas. Segundo a Globo, cada eleitor indeciso vai elaborar previamente perguntas com temas de interesse nacional. As oito perguntas mais bem formuladas serão selecionadas pela produção do programa para serem feitas aos candidatos.
Dilma e Aécio vão debater ideias e responder as perguntas em um cenário em forma de arena, que facilitará a movimentação dos candidatos durante as falas. Os eleitores indecisos estarão sentados em volta do espaço ocupado pelos presidenciáveis.
O debate terá quatro blocos. Em caso de ausência de algum candidato, seu lugar permanecerá vazio com uma placa que o identifique pelo nome. Nos dois blocos de tema livre, o candidato presente poderá formular a pergunta que faria ao candidato que se ausentou. Nos outros blocos, todas as perguntas de eleitores indecisos serão respondidas apenas pelo candidato presente.

Renata engajada: após gravar guia pró-Aécio, caminhada no Recife

Renata e o filho Pedro participam de caminhada pró-Aécio no Centro do Recife. Foto: Jornal do Commercio.
enata e o filho Pedro participam de caminhada pró-Aécio no Centro do Recife. Foto: Jornal do Commercio.
Um dia após aparecer no guia eleitoral pedindo um voto de confiança para o candidato Aécio Neves (PSDB), Renata Campos, viúva do ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos, participou da caminhada no Centro do Recife favorável à candidatura do tucano. Ao lado dela, os filhos mais velhos – João e Pedro Campos.
Com saída da Praça Maciel Pinheiro, no bairro da Boa Vista, área central do Recife, militantes e políticos seguiram em caminhada em direção à Praça da Independência. O ato acontece um dia depois da manifestação no Marco Zero, Centro do Recife, nessa quarta-feira (22).
O governador eleito de Pernambuco Paulo Câmara, o senador eleito Fernando Bezerra Coelho, o prefeito do Recife Geraldo Julio, deputados estaduais e federais participaram do ato, que culminou em um comício na praça. O presidente do PSB no Estado, Sileno Guedes, pediu “que o povo continue com o projeto de Eduardo de acabar com esse governo que não está fazendo bem ao Brasil”.
Na última visita de Aécio a Pernambuco, realizada no dia (11), Renata Campos declarou apoio ao tucano, sinalizado por meio de uma carta. A mensagem foi lida pelo filho homem mais velho de Eduardo, João Campos, 20 anos.
Sempre influente nos bastidores das campanhas políticas em Pernambuco, a família do ex-governador Eduardo Campos (PSB) empenhou-se ainda mais nas eleições depois da morte repentina do político. Os familiares de Campos assumiram o protagonismo para ajudar a eleger os candidatos da Frente Popular: Paulo Câmara para o Governo do Estado e Fernando Bezerra Coelho para o Senado. Com Aécio Neves no segundo turno presidencial, centrou as forças para elegê-lo. No primeiro turno, o apoio estava concentrado na figura de Marina Silva.

Militantes petistas e tucanos brigam no centro de SP


Militantes pró-Aécio e pró-Dilma entraram em confronto em frente ao Teatro Municipal em São Paulo
Foto: Agência O Globo / Michel Filho
Militantes pró-Aécio e pró-Dilma entraram em confronto em frente ao Teatro Municipal em São Paulo - Agência O Globo / Michel Filho
Militantes tucanos e petistas entraram em confronto no início da tarde desta quinta-feira em frente ao Theatro Municipal, no Centro de São Paulo. A confusão aconteceu quando um grupo com cerca de 500 simpatizantes do presidenciável Aécio Neves (PSDB) chegou ao local depois de uma caminhada que começou na Praça da Sé.

Ao se depararem com cerca de 50 petistas que faziam campanha para a presidente Dilma Rousseff, com bandeiras e distribuição de material de campanha, um dos cabos eleitorais de Aécio atirou uma bandeira em direção a um correligionário de Dilma. O militante petista, então, revidou contra o ônibus no qual os apoiadores do PSDB estavam embarcados.


Nesse momento, cerca de dez militantes tucanos desceram e começaram a dar socos e pontapés contra os petistas, que também desferiram agressões contra os adversários. A briga, que durou cerca de cinco minutos, só terminou quando os guardas civis metropolitanos chegaram para separar. Os tucanos foram embora e os petistas continuaram no local. Ninguém foi detido.(De O Globo - Nilson Hernandes)

Marqueteiro diz que o presidente é Aécio

* Marcelo Teixeira
Desde as eleições municipais de 1968 até os dias de hoje não vi um candidato tão preparado para uma disputa eleitoral como Aécio. Vale lembrar que 15 dias antes do 1º turno a candidatura dele patinava entre 15% e 17% nas pesquisas eleitorais.
Porém, mesmo diante das novas circunstâncias, Aécio não diminuiu sua campanha. Ao contrário, junto com sua equipe de comunicação, gente nova com uma competência enorme, manteve-se firme e confiante,  ainda que as lideranças do seu partido, a exemplo de  F.H.C., Alckimim e Serra – estes dois últimos, inclusive, concorrendo as eleições em São Paulo, já tinham jogado a toalha quanto as condições do candidato do PSDB chegar ao 2º turno.

O sentimento de toda a imprensa, publicitários e analistas políticos também era de descrença na candidatura. Ocorre que Aécio partiu para vencer e juntamente com a competência do marketing da sua campanha modificou a estratégia - coisa que eu aprendi que é feito mãe, a gente só tem uma - e partiu para identificar Marina com o PT em razão do passado da candidata.

E, assim, ficou sozinho como o candidato da oposição. Tudo que vi em eleições anteriores foi a desmobilização dos candidatos ao se distanciarem do 2º turno. Aécio mudou a estratégia e chegou contra tudo, inclusive as pesquisas, e domingo sairá eleito presidente do Brasil.

* Marqueteiro e publicitário da Makplan

Aécio: ''Lula não tem limites e se esquece do passado''

Depois de novos ataques do ex-presidente Lula contra o candidato tucano Aécio Neves, nesta quinta-feira 23 durante campanha no Rio de Janeiro, o PSDB divulgou uma nota em que afirma que 'as ofensas' do petista 'mostram seu absoluto descolamento da realidade'.
Durante discurso feito em Belo Horizonte no último domingo e hoje novamente no Rio, Lula chamou Aécio de 'grosseiro' e 'filhinho de papai' por seu comportamento contra Dilma. O candidato tucano chamou a presidente de 'leviana' por diversas vezes durante debate na Band e no SBT.

No Rio, o discurso foi parecido: 'Ele ficou incomodado porque eu disse que ele era filhinho de papai. Mas foi uma grosseria (chamar Dilma de leviana) típica de filhinho de papai. De gente que fala assim com empregada doméstica. Sou filho de mãe analfabeta e ela nunca deixaria que eu chamasse uma presidente de leviana. É um comportamento de alguém que nunca trabalhou, nunca precisou lutar pelo salário'.

Na nota, o partido acusa Lula de se esquecer do passado e resgata que o ex-presidente, durante a campanha de 2006, também chamou o então candidato adversário Geraldo Alckmin (PSDB) de 'leviano'. Dilma também usou a mesma palavra contra a candidata Marina Silva, aponta o partido, que divulga arquivos de vídeo e áudio dos dois episódios.
'Cada vez mais, Lula mostra que sua sede de poder não encontra limites, nem nas profundezas de sua memória', conclui a nota.

Leia abaixo a íntegra e confira o vídeo e o áudio com Lula e Dilma:

COLIGAÇÃO MUDA BRASIL
Nota oficial
As ofensas do ex-presidente Lula mostram seu absoluto descolamento da realidade. Além de distribuir ofensas gratuitas, o ex-presidente oportunamente esquece seu próprio passado e o de sua candidata.

Em 2006, durante debate promovido pela Rede Bandeirantes, Lula chamou o então candidato Geraldo Alckmin de leviano repetidas vezes. A palavra 'leviana', que parece tanto chocar o ex-presidente, também foi utilizada por Dilma no primeiro turno contra a então candidata Marina Silva, durante entrevista coletiva.

Cada vez mais, Lula mostra que sua sede de poder não encontra limites, nem nas profundezas de sua memória.
Ouça aqui o áudio de Dilma.

Dilma lamenta briga entre petistas e tucanos nas ruas

Ainda com a voz rouca, a presidente Dilma Rousseff, candidata à reeleição pelo PT, fez um apelo, na tarde desta quinta-feira, em um hotel na Barra da Tijuca, na Zona Oeste, para que se encerrem os confrontos entre militantes do PT e do PSDB a três dias para a eleição, no próximo domingo.

- Gostaria de fazer um apelo para que isso não ocorresse. Uma eleição é disputada. Tem que ter confrontos, conflitos, mas tem que ser de ideias. Ninguém pode sair do campo das ideias para o campo da realidade física. É importante que as pessoas discutam, que haja debate. Desde que fique no campo das ideias, é isso que é democracia. É normal ter um debate muito mais claro em determinados momentos. Ao contrários dos outros momentos que não são eleitorais. Agora, confrontos físicos, acho que nós temos que repudiar e alertar que não podem ocorrer.

A presidente pediu tranquilidade, embora tenha dito que, quando está em campanha nas ruas, não vê brigas:

- Em todo fim de eleição, o clima fica um pouco mais quente. Acho que a gente não pode tentar criar também um fantasma disso tudo. Não há esse clima no Brasil.  (De O Globo - Cássia Bruno)

O otimismo de Teixeira

Em artigo, ontem, neste blog, o marqueteiro Marcelo Teixeira, da Makplan, contrariou todos os institutos de pesquisas e fez uma análise apontando que o tucano Aécio Neves tem chances de ser eleito presidente no pleito do próximo domingo. Na eleição passada, segundo ele, Dilma teve 47% dos votos no primeiro turno das eleições de 2010.
Já no primeiro turno deste ano, obteve 41,6%, ou seja, uma queda de mais de 5% dos votos. No segundo turno das eleições de 2010, a candidata petista obteve 56% dos votos, com os seguintes percentuais de votos distribuídos por Estado: 80,5% dos votos no Amazonas; 77,5% no Ceará; 76% em Pernambuco; 59% em Minas; 46% em São Paulo e 60,5% no Rio.

“Na minha opinião, diz o marqueteiro, e pelas minhas contas, no Sudeste e no Sul, Aécio terá 60% dos votos. Com a votação do Centro Oeste, Aécio anulará a do Norte com folga, e o Nordeste será melhor para Aécio do que foi para Serra”.

E acrescenta: “Examinando hoje os números por Estado e me informando pelos veículos de comunicação de cada um deles, além de colher informações com amigos do ramo e da política dos principais Estados, chego à conclusão hoje que Aécio ganha a eleição”.

Teixeira ressalta que não se pode esquecer que os votos brancos e nulos, em sua maioria, são dos eleitores analfabetos e semianalfabetos, de faixa salarial entre 1 e 2 salários mínimos, que, assim como na abstenção, são na maioria eleitorado de Dilma.

“Portanto, hoje, Aécio será o próximo presidente do Brasil. Porém, falta muito para a eleição, daqui para lá, poderemos ter fatos novos que beneficiem um ou outro, não acontecendo contra, Aécio será o presidente.

Youssef incriminou Dilma e Lula, afirma revista

Em reportagem de capa, a revista Vejainforma a menos de 72 horas da eleição presidencial: “O doleiro Alberto Youssef, caixa do esquema de corrupção na Petrobras, revelou à Polícia Federal e ao Ministério Público, na terça-feira, que Lula e Dilma Rousseff tinham conhecimento das tenebrosas transações na estatal.”
Acusado de lavar algo como R$ 10 bilhões em verbas de má origem, Youssef foi preso em março. Depõe como delator desde 29 de setembro. De acordo com o relato do repórter Robson Bonin, o doleiro está bem mais magro, exibe um rosto pálido, raspou o cabelo e livrou-se da barba. Habituado às sombras, ele agora rompe o silêncio com desassombro.
A alturas tantas, Youssef soou peremptório: “O Planalto sabia de tudo.” O delegado federal que o inquiria quis saber: “Mas quem no Planalto?” E o delator: “Lula e Dilma.” Exposto no site da revista, o teor da capa de Veja veio à luz mais cedo. Normalmente, costuma ser divulgado nas noites de sábado. Por ora, o Planalto, o Instituto Lula e o PT não se manifestaram.
Josias de Souza